Diz a ela que me viu chorar

Metade da minha vida atrás, quando eu tinha 17 ou 18 anos, estive muito perto de onde vivo hoje. Explico a confusão entre espaço e tempo: na época, eu andava, junto a um grande número de jovens punks ou quase, pelas imediações do bairro onde hoje vivo. Fazia algo que naquele momento não me parecia … Continue lendo Diz a ela que me viu chorar

Caneta azul

Há 11 anos atrás, comecei minha experiência como professor no Cursinho da Psico, dentro da USP. Um projeto de extensão iniciado por estudantes do curso de Psicologia em 1998 e que se tornou uma autogestão pouco antes da minha entrada. Na época, eu mal conseguia olhar para os estudantes enquanto falava. Ainda era eu um … Continue lendo Caneta azul